sábado, 17 de junho de 2017

Memórias de Braga: Rei David



O próximo Memórias de Braga está integrado no programa do São João de Braga 2017 e é dedicado à mítica Dança do Rei David, uma tradição que sai às ruas a 24 de Junho e que vai passando de geração em geração numa família de Palmeira.

Oradores: José Alberto Nogueira, José Carlos Nogueira
Moderador: Rui Ferreira

No “ciclo de memórias” cada conversa é informal e cujo objetivo é a troca de conhecimentos entre o público e os convidados, partilhando-se as memórias que se querem vivas sobre as vivências da nossa cidade.

DANÇA DO REI DAVID:
A dança do Rei David é outra das tradições mais relevantes das festas de São João em Braga. Constituída por 13 elementos, um dos quais o Rei David, que se destaca ao centro. O grupo está dividido em duas filas de seis elementos cada. Cada fila tem um guia, cuja missão é iniciar a dança e interagir com o Rei. A melodia que acompanha a dança é constituída por “duas partes de doze compassos binários”. Segundo José Gomes, a música atualmente utilizada é oitocentista, devendo-se a sua autoria a um monge agostinho do Convento do Pópulo. Quanto à dança, o mais caraterístico é um passo tipo polca, em que uma das pernas está
elevada com o joelho dobrado sobre a cinta, enquanto a outra suporta o peso total do corpo.
Frequentemente associada ao auto do Carro dos Pastores, tem também origem nos quadros exibidos nas procissões sanjoaninas do período barroco, discutindo-se a influência que poderá ter recebido da Mourisca, com cuja configuração detém semelhanças. Trata-se, provavelmente, da tradição mais antiga associada aos festejos bracarenses, tendo mantido uma regularidade assinalável quer quanto à música, quer quanto à forma. A origem da dança do Rei David, que já se tornou no maior ícone das festas sanjoaninas, continua até hoje por apurar. São muitas as vozes que atiram a sua origem para o século XVI, nomeadamente para a Mourisca, tradição que já abordamos e que nasceu associada às celebrações do Corpus Christi. Esta tradição chegou aos nossos dias, pois, durante várias gerações, foi conservada por uma família da freguesia de Palmeira, que orgulhosamente a foi transmitindo de pais para filhos. O protagonista da dança representa a destacada figura bíblica do pastor que se tornou monarca do Povo de Deus ao derrotar o Golias: o Rei David. Diz-nos José Gomes, que existe uma referência documental à dança do Rei David datada de 1726, na qual se refere que esta dança deveria ser levada a cabo pelos correeiros, sirgueiros, pasteleiros e palmilheiros.

sábado, 22 de abril de 2017

+ PATRIMÓNIO: Passeio-Convívio ao Gerês Romano




A Braga + e a JovemCoop, promovem no próximo dia 1 de Maio mais uma edição do passeio convívio, desta vez percorrendo o Gerês romano. O ponto de encontro vai ser às 09h00, junto ao Pópulo. A viagem será feita de autocarro, sendo que o regresso deverá acontecer pelas 18h00.

Com o objetivo de também divulgar junto dos bracarenses o património da região do Minho, o percurso contará com passagens por locais onde é possível vislumbrar vestígios do período romano, localizados no perímetro do Parque Nacional da Peneda-Gerês enquanto se caminhará pela famosa "Geira” sob orientação e explicações de Ricardo Silva, historiador e presidente da Junta de Freguesia de São Victor.

Para além de comida fácil de transportar, os participantes deverão levar roupa e calçado adequado, uma vez que está previsto andar 10km a pé ao longo do dia. Excecionalmente vamos cobrar a participação neste percurso com o objetivo de cobrir as despesas com o transporte. Nesse sentido, durante a viagem será pedida a contribuição de 1€ aos associados e 2€ aos não associados.


Existem 52 lugares no autocarro, divididos pelas duas associações. A inscrição deverá ser efetuada através do email associacaobragamais@gmail.com. Os associados da Braga + têm prioridade na inscrição.

terça-feira, 11 de abril de 2017

Memórias de Braga: 25 de Abril de 1974


Todos conhecem o que se passou no dia 25 de Abril de 1974 e a importância do mesmo para o futuro do nosso país. Anualmente, quando se relembra a revolução dos cravos, os meios de comunicação nacionais tendem em focar apenas para o epicentro dos acontecimentos em Lisboa, no entanto, este dia foi vivido intensamente por todo o país e Braga não foi exceção. Para que a memória perdure, torna-se importante relembrar como foi vivido em Braga esse importante marco da nossa história e que essas recordações cheguem também às gerações mais novas.

Nesse sentido, o antes, durante e depois da revolução de 25 de Abril de 1974 na nossa cidade, será tema de conversa de mais um Memórias de Braga que desta vez decorrerá em parceria com a Associação Cultural Sá de Miranda e terá lugar no próximo dia 20 de Abril (quinta-feira), às 21h30 no Teatro da Escola Secundária Sá de Miranda. Os participantes poderão também contemplar uma exposição de fotografias desse dia em Braga capturadas pelo fotojornalista José Delgado e uma pequena atuação do Daniel Pereira Cristo e dos Canto D’aqui na abertura e fecho da sessão, respetivamente.

Para nos falar como se viveu esse importante dia em Braga, são convidados José Manuel Mendes, José Viriato Capela e Jorge Cruz.

No “ciclo de memórias” cada conversa é informal e cujo objetivo é a troca de conhecimentos entre o público e os convidados, partilhando-se as memórias que se querem vivas sobre as vivências da nossa cidade.

Entrada livre. Contamos com a presença de todos.

Vídeo do Percurso Pascal no Bom Jesus